Buscar
  • JULIANE FERREIRA

Rede Mulher Florestal inicia levantamento para segunda edição do Panorama de Gênero

Publicação segue indicadores internacionais do FSC® e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU

As empresas do setor florestal já podem participar da pesquisa que dará subsídios para elaboração da segunda edição do Panorama de Gênero do Setor Florestal. O estudo produzido pela Rede Mulher Florestal busca retratar a presença e o papel exercido pelas mulheres no setor, além de identificar as melhores práticas relacionadas ao tema. Com levantamento de dados quantitativos e qualitativos, a novidade deste ano será a inclusão de informações também das áreas industriais.


A elaboração do Panorama considera os indicadores internacionais do FSC® (Forest Stewardship Council®) sobre gênero e do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável nº 05 da ONU: Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas.


Este ano, a Rede conta com o apoio da empresa Tree Consultoria e Educação em Diversidade e Inclusão, empresa especializada na elaboração de documentos nessa temática, o que também irá conferir ainda mais segurança às empresas respondentes.


Para participar, acesse: https://pt.surveymonkey.com/r/RMF02

A edição deste ano conta com o apoio na categoria Diamante da Ibá, Ouro da Suzano, e apoio prata da Arauco. Empresas que tenham interesse em apoiar a iniciativa podem entrar em contato pelo email redemulherflorestal@gmail.com

Cenário atual

A primeira edição do Panorama de Gênero, publicada em 2020, mostrou a realidade de metade da área de plantações florestais do país, localizadas em 12 Estados em todas as regiões, na qual estão 34 mil profissionais diretamente trabalhando no segmento. O levantamento identificou que, do total de profissionais representados pelas empresas respondentes, apenas 13% eram mulheres. Entre as organizações que participaram da pesquisa, 63% afirmaram possuir política de diversidade ou não discriminatória. Entre aquelas que não possuem política de diversidade formal (37%), a maioria afirmou que busca a diversidade em suas práticas, independente de haver um documento formal orientando sobre o assunto.


Segundo a presidente da Rede, Fernanda Rodrigues, o objetivo deste ano é ampliar a coleta de dados para que possam ser propostas iniciativas que contribuam para que o setor alcance a equidade de gênero. “Precisamos de informações confiáveis para entender a presença e a atuação das mulheres. Além disso, conhecer as boas práticas das empresas nessa temática será um passo importante para inspirar outras organizações a adotarem políticas e posicionamentos mais inclusivos”, afirma.

Sobre a Rede

A Rede Mulher Florestal é uma organização não governamental, sem fins lucrativos ou vinculação partidária e atua como uma rede independente criada para promover a discussão para equidade de gênero no setor florestal. Atua em forma de rede, ao permitir que mulheres e homens do setor florestal brasileiro tenham seu primeiro contato, ampliem, promovam e/ou compartilhem seu conhecimento sobre o tema gênero.







49 visualizações0 comentário