Buscar
  • JULIANE FERREIRA

Grupos de Trabalho irão implementar Plano de Ação da Rede Mulher Florestal

Discutir, propor ações, apoiar no fortalecimento e na governança da Rede Mulher Florestal. Os Grupos de Trabalhos criados este ano para colocar em prática o Plano de Ação da organização avançaram nos últimos meses com uma série de contribuições para ampliar ainda mais o alcance do trabalho que vem sendo realizado.

De forma voluntária, 47 associadas à Rede têm se reunido para tirar do papel ideias que gerem impacto positivo no setor florestal quando o tema é equidade de gênero.

Confira a seguir um resumo das principais deliberações de cada um dos GTs até o início de agosto:

GT Educação

Tem como objetivo gerar, construir e disseminar conhecimento sobre gênero no setor florestal por meio de cursos, workshops e treinamentos, virtuais e presenciais, para um público amplo incluindo pessoas ocupando diferentes cargos em vários segmentos do setor florestal. Para isso, o GT se reúne mensalmente para elaborar o plano de trabalho e debater ações, estratégias e temáticas de interesse, visando uma eficaz contribuição tanto para associadas (os) à Rede Mulher Florestal quanto para o público em geral.

A proposta do grupo, além orientar a Rede Mulher Florestal a oferecer oportunidades de formação e troca de experiências, visa aproximar e fortalecer diferentes segmentos do setor florestal e pessoas atuando em diferentes níveis e áreas levando a temática de gênero para um espaço central de construção horizontal e participativo.

O GT Educação é coordenado pela engenheira florestal Bárbara Bomfim.

GT Mulheres na Tomada de Decisão

O objetivo deste GT é identificar barreiras à presença de mulheres nos espaços de tomada de decisão, apontar estratégias para ampliar esta representatividade, bem como promover e participar de debates e rodas de conversa sobre o tema.

O Grupo vem elaborando um mapeamento contínuo das mulheres em cargos de tomada de decisão no setor florestal, incluindo a subdivisão de áreas do setor – como mulheres na esfera acadêmica, em organizações da sociedade civil, e nos setores público e privado. Essas informações servirão para a produção de conteúdo e debates temáticos, em conjunto com o GT Comunicação, alinhando possibilidades de contribuições de parte destas mulheres mapeadas pelo GT Mulheres na Tomada de Decisão nas ações propostas.

A engenheira florestal Victoria Rosenthal coordena o grupo.


GT Igualdade e Empoderamento

Este GT visa criar um ambiente para que sejam discutidas e implementadas ações considerando o empoderamento feminino, as barreiras à equidade de gênero, o viés inconsciente, a promoção da igualdade de gênero, casos de sucesso, fóruns de alta gestão para discutir mudanças culturais e de percepção e a cultura de gênero e percepção de valores.

Dessa forma, o Grupo tem trabalhado para o desenvolvimento de um projeto piloto de mentoria para mulheres no setor florestal. Para isso, estão sendo avaliadas iniciativas já existentes, visando entender e estruturar da melhor forma como as atividades poderão ser conduzidas dentro da Rede Mulher Florestal. O objetivo central é que mulheres ajudem e apoiem outras mulheres, principalmente para desenvolverem suas carreiras. Como parte do processo de estruturação do programa, será aplicado um questionário para identificação de potenciais mentoras.

A coordenação dos trabahos é feita pela engenheira forestal Mariane Bueno de Camargo.


GT Comunicação

Para apoiar a comunicação institucional da Rede Mulher Florestal incluindo a elaboração de uma estratégia e prioridades para comunicação, conteúdos para mídias sociais e potencializar o trabalho dos demais GTs, este GT está focado em construir um planejamento macro que oriente as diretrizes de posicionamento da organização. O GT conta com a participação de três associadas e está sob a coordenação da jornalista Juliane Ferreira.




51 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo